Circular À Volta De Sepulturas E Procurar Ajuda Dos Mortos

O Veredicto sobre aqueles que fazem Tawaf de Sepulturas e procuram ajuda dos mortos enterrados nelas.

Pergunta: Surgiu uma disputa entre dois grupos de pessoas sobre considerar incrédulos aqueles que fazem Tawaf (circulação à volta) de sepulturas e procuram ajuda daqueles enterrados nelas. Alguns deles dizem que isto é um acto de Shirk (associar outros com Allah na Sua Divindade ou adoração) e que as pessoas que fazem isto (i.e. tawaf à volta de sepulturas) devem ser desculpadas pela sua ignorância sobre assuntos de Tawhid (Monoteísmo). No entanto, outros afirmam que aqueles que chamam (invocam) outros além de Allah para ajuda não são Muçulmanos e não devem ser desculpados da sua ignorância, visto que desculpar as pessoas pela sua ignorância aplica-se somente a questões marginais e jurídicas. A pergunta é, “Qual dos grupos está certo e qual dos grupos está errado?”

Resposta: A opinião ajuizada (ou seja, aquela que é correcta) é do grupo que afirma que tais pessoas não devem ser desculpadas, uma vez que estes são assuntos essenciais entre os fundamentos da fé. O Profeta (que a paz esteja com ele) pregou (esta questão, i.e. tawhid /  monoteísmo), mesmo antes de pregar Salah (oração), Sawm (Jejum), Zakah (Caridade Obrigatória) e outros fundamentos. Pois os Muçulmanos não são para ser desculpados devido à sua ignorância sobre tais fundamentos, especialmente aqueles que vivem em comunidades Muçulmanas e que escutam o Alcorão e os Hadiths. Não há dúvida de que invocar pessoas mortas, oferecer sacrifícios em nome deles e pedir (suplicar) a eles para curar e socorrer pessoas são actos de Shirk grande (associar outros em adoração com Allah; Glorificado e Exaltado é Ele).

Allah (Exaltado seja Ele) diz no Seu Nobre Livro em Surah Al-Mu’minun, 23: 117: “E quem invoca, com Allah, outro deus, do qual não tem provança alguma, seu ajuste de contas será, apenas, junto de seu Senhor. Por certo, os renegadores da Fé não serão bem-aventurados.” Allah chama-lhes portanto Kafirun (incrédulos) devido às suas práticas.
Ele (Glorificado e Exaltado seja Ele) diz também em Surah Fatir, 35: 13: “Esse é Allah, vosso Senhor: dEle é a soberania. E os que invocais, além dEle, não possuem, seguer uma película de caroço de tâmara.” Surah Fatir (35): 14: “Se os convocais, não ouvirão vossa convocação. E, se a ouvissem, não vos atenderiam. E, no Dia da Ressurreição, renegarão vossa idolatria. E ninguém te informa da Verdade como Um Conhecedor.”

Allah (Glorificado e Exaltado seja Ele) considera invocá-los como Shirk. Ainda mais, Ele (Glorificado e Exaltado é Ele) diz em Surah al-Jinn (72): 18: “Então, não invoqueis, com Allah, a ninguém.”
E em Surah Yunus (10): 106: “E não invoqueis, além de Allah, o que não te beneficia nem te prejudica. Então se o fizeres, por certo, será, nesse caso, dos injustos.”

Quando a palavra “Zâlimun” é geralmente mencionada no Alcorão, denota Shirk em conformidade com a afirmação de Allah (Glorificado e Exaltado é Ele) em Surah Luqman (31): 13: “Ó meu filho! Não associes nada a Allah. Por certo, a idolatria é formidável injustiça (Zûlm).”

Isto aplica-se a fazer Tawaf (à volta) de sepulturas (ou túmulos) com a intenção de aproximar-se dos mortos, o que é a mesma coisa que invocar (ou chamar) por eles para ajuda e é contado como Shirk grande (associar outros com Allah na Sua Divindade ou adoração). No entanto, se uma pessoa faz isto pensando que isto é um acto de adoração a Allah e tendo como objectivo aproximar dEle, da mesma forma como as pessoas fazem com a Qa’bah (Ka’bah), o seu acto é Bid’ah (assunto inovador na religião) e uma dos meios mais perigosos para Shirk. No entanto, a maioria das pessoas que circula à volta de sepulturas têm como intenção aproximar-se dos mortos através disso e procurar recompensa e intercessão deles, o que um acto de Shirk grande. Que Allah nos proteja disto!

Shaykh Abdul ‘Aziz ibn Baaz

Fonte: Alifta.Com | Fatwas de Ibn Baz, Volume 28, Livro de questões relacionadas a ‘Aqida, Capítulo sobre Visitar Cemitérios.
Esta entrada foi publicada em Sufismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *