Cuidado De Quem Adquirem O Vosso Din

“Nota do tradutor: Isto é uma revisão baseada em uma leitura de Shaykh Ibn ‘Umar Bazmool baseada na afirmação famosa de Muhammad Ibn Sirin: “Este conhecimento é um assunto de Din; vede, portanto, de quem adquiris vosso Din.”

Esta leitura pode ser escutada (em Inglês) em www.troid.org

Resumo:

Devido à fragilidade da Ummah e à falta de compreensão da pura metodologia Islâmica, é comum no nosso tempo que uma pessoa ignorante seja levada como uma pessoa de sabedoria, e que uma pessoa ignorante assuma o papel e a responsabilidade de um alto-falante e chamador para o Islam. Apesar da montanha de declarações dos Salaf, como os de al-Laalikaai, al-Barabahaari, Ahmad Ibn Hanbal, Ibn Sirin e assim por diante implorando aos Muçulmanos a se manterem perto dos Estudiosos, as pessoas da sunnah (o jama’aah) e para ficar longe de assuntos duvidosos.

Por isso, antes de tentares sentar-te em uma reunião, pergunta-te a ti próprio:

– É esta pessoa conhecida pelos estudiosos e os seus alunos?
– Ele tem tazkiyaat de qualquer espécie?
– Quem são os seus companheiros (com quem é que ele se senta)?
– Frequenta ele os encontros de Ahlus-Sunnah, o masaajid deles, seminários, palestras etc.?
– O que dizem as pessoas da Sunnah e Salafiyyah na sua área sobre ele?
– Coopera ele com Ahlul-Bid’ah, a masaajid deles e programas deles (ele está aqui, ali e em todo o lado)?

Tu pões estes bloqueios na tua mente antes de definires a tua busca de sabedoria com um homem? Vendo que é um dos mais importantes assuntos que tu poderás definir para… a tua salvação, a tua ‘aqidah, o teu caminho para o paraíso insha’Allaah 

Shaykh Ahmad Bazmul afirma:

“… Isto é tão importante, esta sabedoria é Din, algo com que ele será levantado no Dia do Julgamento…o Muçulmano deve analisar e adquirir o seu Din de Ahlus-Sunnah, as-Salafiyyun, conhecidos por sabedoria, sendo honesto e tendo taqwaa’.

“Imaam Maalik disse que não é suficiente para alguém ser um adorador, e ser conhecido por Zhud, expressão de adoração exterior, para que se adquira (conhecimento/sabedoria) deles… eles não adquiriam (sabedoria) deles porque não era esse o assunto (sabedoria) deles, eles eram adoradores e nada mais. Neste tempo quando nós vemos uma pessoa que tem uma lihyah (barba), a sua roupa acima dos tornozelos ele é então o mufti da sua área, isto é um erro!”

“É proibido para aquele que é perguntado e não sabe, responder. Como é também haraam para alguém perguntar a alguém que não sabe…ele tem que perguntar ao estudioso…se nós tivéssemos uma situação médica, iríamos ao mecânico? E se nós tivéssemos um problema com o nosso carro, iríamos ao agricultor…não!!! Nós iríamos a cada indivíduo que é um especialista no seu campo…portanto quando se trata de um assunto de din, nós temos que ir aos estudiosos/sábios, não é correcto perguntar a alguém (qualquer) ou fazer o que toda a gente está fazendo.”

“Abu Dardaa’ foi um dia para a Masjid (no tempo dos tabi’in) e ele observou as pessoas orando de forma diferente de acordo com a Sunnah, ele chegou a casa irritado e a sua esposa (Ummudh-Dardaa’) perguntou-lhe o que lhe tinha irritado? Ele disse, “Por Allah eu não vejo nada do tempo do Profeta (sallallaahu ‘alayhi wa sallam) excepto a oração conjunta (o que significa que eles tinham abandonado muito da Sunnah). Isto é a sua afirmação enquanto ele estava perto da época do Mensageiro (sallallaahu ‘alayhi wa sallam). Então e agora? 1400 anos depois disso, estão massas (de Muçulmanos) sobre a Sunnah? Está a massa geral sobre conhecimento? Não! Em vez disso, deveríamos seguir os estudiosos!”

Dos outros pontos discutidos:

É feito um ponto importante sobre deixar de adquirir conhecimento mesmo daquele que fala com a ‘Aqidah de Ahlus-Sunnah mas ele tem hizbiyyah com ele ou Sururiyyah com ele (i.e. alguém que fala simplesmente com a haqq não o faz uma pessoa de sabedoria ou uma pessoa com que (vocês) se possam sentar (e adquirir conhecimento).

O princípio corrupto de ‘tirar o bem/deixar o mal’, fazendo-se (a ele próprio) um detective privado dentro dos assuntos de muitas pessoas de muitas crenças diferentes e apontando depois a si próprio alguém com o critério entre o que se deve tirar e deixar (não se realizando que ele próprio é ignorante, ele não se pode proteger a si próprio desta fitnah e isto não é da manhadj de Ahlus-Sunnah de se sentar com Ahlul-Bid’ah no que diz respeito a isto.)

Fonte: Troid.Org

Esta entrada foi publicada em Manhaj. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *