O Que É Um “Wahhabi” E O Que É O Wahhabismo?

O Que É Um “Wahhabi” E O Que É O Wahhabismo?

Infelizmente, alguns dos Muçulmanos têm sido responsáveis por enganar outros através de chamar um “Wahhabi” a qualquer um que contradite os seus costumes locais, crenças ou superstições e práticas religiosas. O termo “Wahhabi” parece levar significados diferentes em tempos e lugares diferentes.

Esta denominação é baseada sobre o preceito que um estudioso religioso com o nome Muhammad Ibn ‘Abdul-Wahhab veio com uma nova religião que infringia as normas do Islam. Quem era este homem e sobre quê escreveu exactamente ele?

Nascido na cidade de ‘Uyaynah no ano 1703DC (1206H) [1], Muhammad Ibn ‘Abdul-Wahhab tornou-se perturbado com as práticas religiosas das pessoas que continham politeísmo, superstições, e santificação de santos e túmulos, todos os quais estão em clara oposição aos textos Islâmicos.

Ao escrever as suas obras, ele concentrava-se em trazer as pessoas de volta para a Tawhid correcta (monoteísmo) [2] e aderência em seguir a Sunnah (caminho) [3] do Profeta Muhammad (paz esteja com ele). Visto que ele estava a reviver a mensagem dos Profetas, ele encarou muitos obstáculos e dificuldades e foi severamente contrariado por trazer esta chamada.

Até ao dia de hoje, ele é visto em muitas partes do mundo Muçulmano como um desviado que tinha tentado alterar a religião do Islam. Isto é um mentira infundada, como qualquer observador objectivo pode notar que a maioria dos seus livros não são nada mais do que compilações de textos do Alcorão e da Sunnah com uma quantidade mínima de palavras únicas entre eles. São de facto estas pessoas cujas quais os seus antepassados, durante o tempo, mudaram a religião da sua forma original prístina, e ele não era mais nada do que um reformador que purificou a religião de elementos não-autênticos:

O Mensageiro de Allah (que a paz esteja com ele) disse, “Este conhecimento irá de ser transportado por aqueles dignos de confiança de cada geração, eles irão de expulsar as alterações feitas por aqueles que passaram dos limites, as afirmações falsas dos mentirosos e as falsas interpretações dos ignorantes.” [4]

A posição dos Salafis em respeito a Muhammad ibn ‘Abdul-Wahhab, é que ele era um grande estudioso religioso, como os milhares que lhe precederam sobre esta bondade. A sua crença era a mesma do que a deles, e ele só se tornou famoso pela sua defesa desta crença porque ele veio em uma época em que as práticas falsas estavam tão espalhadas que ele estava essencialmente sozinho na sua defesa da verdade. Apesar de tudo, as suas crenças, acções, e afirmações estão sujeitas a examinação, da mesma forma que aquelas dos milhares de estudiosos Islâmicos que lhe precederam estão, e não é permitido para qualquer Muçulmano ter parcialidade por qualquer estudioso até a um ponto que resultaria que ele ou ela rejeita-se a verdade que é contida no Alcorão ou nas ahaadith do Profeta (paz esteja com ele):

“Ó vós que credes! Não vos antecipeis a Allah e a Seu Mensageiro. E temei a Allah. Por certo, Allah é Oniouvinte, Onisciente.” [49: 01]

– abreviado do livro: The “Wahhabi” Myth (por James Oliver)

Nota: artigo traduzido exclusivamente para Al-Muminun.Net do livro “The Wahhabi Myth” com a permissão do autor (James Oliver). Artigo sujeito a mudanças, de acordo com a publicação da segunda edição (revisada) do livro.

[1] O calendário Islâmico começa depois da emigração do Profeta (paz esteja com ele) de Meca para Medina, sendo equivalente a 622DC.

[2] Tawhid (verdadeiro monoteísmo) A crença que Allah é Um, procedendo depois a singularizá-lO em todas as formas de adoração.

[3] A Sunnah inclui os ditos, acções e aprovações do Profeta (paz esteja com ele). O Profeta (paz esteja com ele) disse: “Aquele que rejeita a minha Sunnah não é de mim.” (Reportado por al-Bukhari nr. 5063)

[4] Autenticado por Shaykh al-Albaani em al-Mishkaat (nr. 248)

[5] A palavra usada aqui é taqwaa. O conceito de taqwaa no Islam está enraizado na co-relação equilibrada que existe entre amar Allah, que dá ao Crente esperança pela Sua Misericórdia ilimitada, e temê-lO, que mantém o Crente longe de cair em pecados e transgressão. Taqwaa protege um Crente da ira de Allah. O Altíssimo disse: “Então, refugiai-vos em Allah.” [51: 50] Allah ordena ao Crente para fugir de todas as coisas que Ele odeia, as ocultas e as manifestadas, para aquelas coisas que Ele ama. Ele também nos ordenou fugir da ignorância do nosso propósito de existência para bom conhecimento de nós próprios, do nosso Senhor, a Sua religião que Ele escolheu para nós, e os nossos assuntos mundanos. Nós devemos fugir de kufr (incredulidade) para imaan (fé verdadeira), e (fugir) de negligência para a relembrança da grandeza do Criador.

Normalmente, uma pessoa foge de qualquer coisa por causa de medo extremo dela. Isto é um tipo de medo negativo que leva à ruína. Ao contrário disto, o medo que um Crente mantém por Allah causa que ele fuja de todas as coisas vãs e inúteis, para Ele. Portanto, é nos dito para fugir para Allah. No Islam, temer Allah traz o servo para perto dEle.

Esta entrada foi publicada em O Mito Wahhabi. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *