O Que É Um Salafi E O Que É O Salafismo?

Introdução do tradutor: Visto que hoje em dia, o termo “Salafi” é mal-entendido por a maioria dos Muçulmanos, segue-se um artigo que explica a razão de utilizar este termo. Muitos dos Muçulmanos, devido à sua ignorância, categorizam qualquer um que se chame a si próprio de Salafi como um “Wahhabi”, algo incorrecto como explicado na nossa secção “O Mito Wahhabi”. Para mais informação sobre o termo Salafi e Salafiyyah visite a nossa secção: Salafiyyah.

O leitor irá de notar em Al-Muminun.Net que a palavra “Wahhabi” está sempre amassada entre aspas. Aqueles que são rotulados com esta palavra não usam eles próprios este termo, visto que é usado como um meio de desprezo. As razões para a rejeição deste termo estão claramente descritas por toda a parte da secção ‘O Mito Wahhabi’ neste site. A maneira correcta de se referir a eles é por os chamar de Salafis, sendo eles aqueles que aderem ao caminho dos Salaf – o Profeta Muhammad (que Allah possa elevar o seu estatuto e lhe garantir paz) e os seus Companheiros.

Seguir o caminho dos Salaf é a maneira que foi legislada no Alcorão e na sunnah, as grandes fontes do Islam. O Profeta Muhammad (que Allah possa elevar o seu estatuto e lhe garantir paz) disse para a sua filha Fatimah: “Certamente, eu sou para ti um Salaf abençoado.” [1]

Quando o Profeta (que Allah possa elevar o seu estatuto e lhe garantir paz) foi perguntado qual era a maneira correcta e aceitável de compreender o Islam, ele respondeu dizendo: “Aquilo sobre o qual eu e os meus companheiros estão sobre.” [2]

Semelhantemente, Allah diz no Alcorão que Ele está satisfeito com os Companheiros: “E os que lhes seguiram com benevolência.” [3]

Da mesma forma, Ele disse em respeito ao Profeta (que Allah possa elevar o seu estatuto e lhe garantir paz) e os seus companheiros:

“Então, se eles crerem no mesmo em que vós (i.e. os Salaf) credes, com efeito, guiar-se-ão.” [4]

Todos os estudiosos ortodoxos do Islam seguiram a maneira (ou o caminho) dos Salaf em entender a religião. Estudiosos antigos como Imam al-Awzaa’i, que morreu 157 anos depois da imigração do Profeta para Medina, disse: “Sejam pacientes sobre a Sunnah, e parem onde o povo parou (i.e. os Salaf), e digam o que eles disseram, e privem-se daquilo de que eles se privaram, e sigam o caminho dos Salaf piedosos; pois certamente, suficiente para vós é que aquilo que era suficiente para eles.” [5]

Hoje em dia, uma das escolas Sunni de jurisprudência é nomeada após um estudioso chamado Abu Hanifah. Milhões de Muçulmanos atribuem-se à sua escola de jurisprudência; aqueles cujos quais a média chama “maioria” Muçulmana. Em respeito à aderência à metodologia Salafi, ele disse, “Adere às narrações e ao caminho dos Salaf, e tem cuidado com novos assuntos inventados (na religião, porque tudo disso é inovação.” [6]

Os estudiosos ortodoxos que vierem depois destas gerações anteriores seguiram também o entendimento dos Salaf em matérias religiosas. Imam ath-Thahabi disse: “Foi autenticamente relatado de ad-Daraqutni (um estudioso de aproximadamente 1000 anos atrás) que ele disse: “Não há nada mais desprezado por mim do que ‘ilmul-kalaam (falatória inovada e retórica).” Eu (adh-Thahabi) digo: O homem nunca entrou em ‘ilmul-kalaam, nem ele entrou em argumentação [7] (i.e. filosofia), ele não mergulhava para dentro disso. Pelo contrário, ele era um Salafi (um seguidor dos Salaf).”

Os estudiosos da época presente que se agarram ao entendimento principal do Islam atribuem-se também a eles próprios ao caminho dos Salaf. O Shaykh Saalih al-Fawzaan é considerado ser um dos estudiosos mais sábios que se encontram vivos hoje em dia. Em respeito ao Salafismo, ele fez a seguinte observação: “Não é um partido entre os vários partidos… Visto que o Salafismo é um grupo de pessoas que caminham sobre o caminho dos Salaf, sobre aquilo que o Mensageiro (que Allah eleve o seu estatuto e lhe garanta paz) e os seus Companheiros caminhavam sobre; e não um partido dos grupos contemporâneos presentes hoje em dia.” [9]

A afirmação da média que os Salafis/“Wahhabis” acreditam que todos aqueles que não seguem a forma deles do Islam são pagãos [10] é um conto longo. Os Salafis acreditam que aqueles Muçulmanos que não seguem o entendimento dos Salaf não estão aderindo a estes e outros textos claros. Assim eles não caiem sob o texto Alcorânico mencionado acima sendo “bem-guiados”. Os Salafis fazem distinção entre aqueles que caiem em inovações religiosas e aqueles que caiem em descrença.

Quando considerando as provas que se encontram no Alcorão e na Sunnah e nas afirmações de todos os estudiosos ortodoxos do Islam desde as primeiras gerações até ao tempo presente, torna-se óbvio que é um grande engano da média referir-se ao Salafismo sendo um movimento chamado “Wahhabismo” que apareceu apenas à cerca de dois séculos atrás durante o período de Muhammad ibn Abdul-Wahhab na Arábia Saudita.

“E o que há para além da verdade, senão o descaminho?” [Alcorão 10: 32]

– abreviado do livro: The “Wahhabi” Myth (por James Oliver)

Nota: artigo traduzido exclusivamente para Al-Muminun.Net do livro “The Wahhabi Myth” com a permissão do autor (James Oliver). Artigo sujeito a mudanças, de acordo com a publicação da segunda edição (revisada) do livro.


1 – al-Bukhaari (no. 2652)

2 – Sahih Sunan at-Tirmidhi (3/54)
3 – Alcorão 9:100
4 – Alcorão 2:137
5 – al-Hujjah (6/A-B) of Ismail Abu Fadhl
6 – Sawnul-Mantaq wal-Kalaam (p. 32) of As-Suyuti
7 – Esta afirmação não vem do ponto de vista de ter uma visão limitada. Pelo contrário, qualquer indivíduo com uma mente aberta irá de investigar a autenticidade de qualquer afirmação que qualquer coisa constitua revelação do Criador. Se esta afirmação for verdadeira e o seu texto requer que a pessoa se submeta ao seu decreto, não seria da sabedoria preceder à procura de conhecimento contraditório que leva a incertezas. A maioria dos filósofos não tentava afirmar que a filosofia leva a algum conhecimento. Por esta razão, irá de encontrar alguns filósofos olhando para objectos e discutindo se eles estão ou não realmente na existência. Filosofando, e deixando os textos e o entendimento dos Salaf é o que leva a grupos como al-Qaida estabelecerem novas metodologias na religião, Consequentemente, conjectura é algo que é censurado no Islam. “Não seguem senão as conjecturas. E, por certo, as conjecturas de nada valem diante da verdade.” [53:28]
8 – Siyar A’laamun-Nubalaa’ (16/457) of Ath-Thahabi
9 – Refira-se à cassete, “at-Tahdhir min al-Bid’ah”, segunda cassete, dada como uma leitura em Hawtah Sadir (Arábia Saudita)
10 – Saudi Time Bomb? Analysis: Wahhabism, PBS Frontline (Nov. 15, 2001)
Esta entrada foi publicada em Salafiyyah. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *